Por que usar drywall como parede?

A divisória de gesso acartonado, ou mais comumente chamada DRYWALL, está cada vez mais popular, principalmente por ser funcional e possuir uma ótima estética. Esse modo de utilizar placas de gesso (gesso+ papel cartão) parafusado em uma estrutura de aço, permite projetos audaciosos, versáteis e de muito bom gosto. 

Com esse sistema é possível usar a criatividade criando curvas, recortes de iluminação embutida, etc., aproveitando principalmente pequenos espaços.

Apresentamos abaixo 12 vantagens que justificam o seu uso:

 

  1. O Drywall possui uma espessura mais fina, proporcionando um aumento de até 5% na área útil dos ambientes;
  2. Seu peso é menor, inclusive reduzindo ou suprimindo a necessidade de algumas vigas e pilares, diminuindo a carga total da estrutura e fundação da edificação;
  3. É possível obter um ótimo isolamento acústico e térmico, dependendo da estrutura interna projetada;
  4. É resistente ao fogo, pois 20% do seu peso é composto por água, reduzindo a propagação da chama. Existem modelos de placas que atendem com melhor desempenho ao quesito “resistência ao fogo”;
  5. Os projetos de instalações elétricas (lembrando que as caixas deverão ser específicas para parede de Drywall), hidráulicas, de gás, de telefone e outras são de fácil execução. 
  6. Possui estabilidade dimensional muito boa;
  7. É de fácil execução, por utilizar um sistema pré-fabricado modulado: através de marcações, as guias são facilmente instaladas, sendo parafusadas no piso e no teto, reduzindo o tempo de obra e de custos com os prestadores de serviço;
  8. Sistema de construção a seco: não existe umidade durante a sua construção, descarta pouco material e produz pouco resíduo (evitando perdas e proporcionando mais higiene e limpeza);
  9. Permite vários tipos de acabamentos: como pintura, textura, colocação de azulejos e pastilhas, revestimentos com papel de parede, lambris de madeira e até mesmo revestimento com mármore e granito;
  10. O seu acabamento é muito bom por ser preciso em suas medidas e proporciona uma superfície única, com um aspecto liso.
  11. Caso sejam necessários reparos ou manutenção,  também não haverá toda aquela sujeira que as paredes comuns de tijolos ou blocos fazem.
  12. É mais barato construir com drywall do que com alvenaria convencional. O custo de uma placa de Drywall varia de R$ 20,00 a R$ 40,00 o metro quadrado. Já o metro quadrado instalado do drywall gira em torno de R$70 a R$100 (valores apenas como referência, pesquisados em 2015). Quando comparado com o sistema construtivo tradicional (em alvenaria), o custo é cerca de 10% menor – segundo, por exemplo, um estudo de caso apresentado na Revista Pini “Gesso Acartonado x Alvenaria de bloco cerâmico”.

 

Desvantagens

Como nem todo produto / sistema está isento de desvatagens, selecionamos as principais:

 

  • Como existe espaços vazios entre as placas e estas são compostas por gesso + papelão, existe a possibilidade de proliferação de fungos e insetos (como: cupins, aranhas, brocas e, principalmente traças) no seu interior. Por isso, em locais quentes, principalmente, será necessário um maior controle.
  • Não é resistente à umidade: seu uso não é aconselhado em locais externos, sujeitos à ação do tempo. Em locais onde a umidade é maior, como cozinha e banheiros, também existe a necessidade de mais cuidados – para essas áreas é indicado o uso da “chapa verde”, que possui proteção antifungo e resistência à umidade.
  • É necessário um cuidado maior para instalar prateleiras, televisores, etc., sendo necessário o uso de itens específicos, como buchas apropriadas, ou até mesmo prever estruturas internas adequadas para o peso que irá suportar.

 

Informações Técnicas – introdução básica

Os componentes e a maneira como será montada a parede de drywall, dependerá da necessidade de cada ambiente, podendo apresentar diferentes resultados em relação a desempenho térmico, acústico e mecânico, assim como de resistência ao fogo.

A parede poderá ter:

  • diferentes espessuras de perfis estruturais;
  • diferentes espaçamentos entre os perfis verticais (montantes);
  • a estrutura poderá ter montantes simples ou duplos, os quais podem estar ligados ou separados;
  • pode receber 1, 2 ou até 3 chapas de cada lado;
  • os tipos de chapas podem ser: Standard = ST; Resistente à Umidade = RU; ou Resistente ao Fogo = RF
  • pode existir lã mineral ou de vidro no seu interior.

 

Estes são exemplos de diferentes configurações de componentes em uma parede de drywall: o detalhe 1 mostra uma parede com montantes simples espaçados e apenas uma placa de gesso acartonado. Já o detalhe 2 mostra montantes duplos ligados (o que confere maior resistência à estrutura), com uma placa de gesso de cada lado e o uso de lã no seu interior (com o obetivo de conforto térmico/acústico). No detalhe 4 podemos visualizar uma parede com profundidade maior, com revestimento interno e ar, e o uso de duas placas de cada lado (o que aumenta o isolamento acústico e térmico entre os ambientes). E no detalhe 6 um sistema semelhante, mas com desempenho acústico e térmico melhor do que no exemplo 4. Imagens: Associação Brasileira do Drywall

Onde essas divisórias podem ser usadas

O sistema de DRYWALL, por ser de rápida e de fácil instalação, pode ser usado tanto em obras novas, como em reformas. Pode ser utilizado para subdividir espaços existentes, para gerar novos ambientes, inclusive, sendo usado para criar divisórias com nichos decorativos.

Por ser prático e rápido de ser executado, é indicado para residências, edifícios públicos e residenciais, em estabelecimentos comerciais, em clínicas e hotéis.

Mas lembre-se: para se obter um bom resultado, contrate o serviço de um profissional especializado.

Estas são algumas dicas de onde usar:

  • Como parede de cômodos em residências ou divisória em salas comerciais;
  • Como nicho decorativo (podendo receber iluminação embutida);
  • Como painel, inclusive para TVs;
  • Como divisória em ambientes comerciais e residências, para ajudar a setorizar espaços ou mesmo conferir privacidade;

 

Nesta reforma, a sala ganhou teto e divisória de gesso, setorizando as salas de estar e jantar. A parede com nicho em drywall é um detalhe que ao mesmo tempo que separa os ambientes, valoriza a sua comunicação. Projeto e fotos: Arq. Nadine Voitille

 

Neste projeto, o gesso acartonado foi usado para criar um detalhe decorativo com iluminação embutida: assim o sofá foi integrado à decoração do quarto e o espaço de leitura ganhou um charme especial. Projeto e fotos: Arq. Nadine Voitille

 

Já neste projeto, a divisória de gesso foi usada para trazer uma sensação de privacidade maior: ao abrir a porta do quarto a divisória é um destaque que chama a atenção. Integrada ao rebaixo do teto, possui iluminação embutida, e confere unidade à decoração. Projeto e fotos: Arq. Nadine Voitille

Fonte: www.cliquearquitetura.com.br